quinta-feira, 15 de março de 2012

Conheça o amor de Deus!



Quando o homem está no pecado costuma pecar, pois sua natureza está condicionada ao pecado. A autopersuasão libertária do homem tenta convencê-lo que tudo é normal e tudo é permitido mediante o livre arbítrio. Assim o homem vive como um marginal pelos caminhos do pecado, mendigando a honra concedida por Deus a todos os seres humanos que desejam viver em liberdade, que preso a qualquer tipo de cadeia, seja de ordem física ou espiritual.

Richard Dawkins, biólogo e cientista



Quando o homem vive o amor de Deus, liberta-se totalmente destas prisões. Seu benefício concedido ao homem foi seu sofrimento. Penso nesta relação de amor e penso quanto uma pessoa sofre quando abandonada por outra, tratada como se fosse um resto. Pois é assim que o homem trata a Deus quando abandona o caminho da virtude em benefício de seus próprios, legitimando o caminho para a ausência de Deus pura e simplesmente por conveniência, face seus próprios desejos e vontades. Não era para ser assim, entretanto é o que temos visto acontecer no mundo. Incentivo ao aborto, a atividades acadêmicas cujo ápice é sempre distanciar o homem de Deus e torná-lo cético ante qualquer evento criacionista. Pois bem, andei a ler o discurso de Richard Dawkins em seu livro e vejo que seu ódio exacerbado é fruto de uma crise em si mesmo, ante questões elementares das quais divaga sem pudor. Mas ele entrelinhas reconhece a existência de Deus, mas nega em benefício de seu orgulho. É sempre assim que o homem age, nega o amor de Deus afim de balizar suas certezas nos cones estreitos da verdade, nos quais acaba por ora se trombando, por ora derrapando.

Quando o homem - ausente de amor e paz - encontra a Deus, aí está um momento ímpar de alegria e felicidade, pois o encontro do homem com seu mentor forma o preenchimento de vazios no ser que a ciência tentou explicar sem sucesso. E digo isto porque leio. Dos elos perdidos de Darwin a questões concernentes a energia pura (que o LHC tem a missão de descobrir) a verdade é que o homem sempre vai insistir na descoberta do ínfimo para explicar a grandeza daquilo que lhe é desconhecido. Mais que uma pretensão barata, simboliza o vazio que busca preencher pelos seus meios, afirmando entre atas de anais científicos o que parece ser uma resposta que na verdade é a continuidade da pergunta. A ciência não consegue explicar como se formam os ossos dentro de uma mulher grávida, nem como uma planta chega a ser uma árvore. O homem não consegue explicar como nasce o amor entre um homem e uma mulher, que poderiam entrar em inúmeros caminhos filosóficos e críticos para justificarem. Mas a verdade é que o amor é o que sustenta o universo.

O amor construiu uma paisagem belíssima face os anos, que a volúpia em momentos intui a destruir. E este amor é Deus. Podem dizer o que pensam ou acham, mas contra provas não há argumentos. Se você deseja provar o amor de Deus entenderá que mesmo cheio de riqueza, aparente felicidade, satisfação, em todas as áreas, o homem quando desprovido de Deus teima em comer pelas beiradas. É um marginal espiritual, mendigando felicidade num charuto, cigarro, em uma bebida. Velhos clichês, mas verdadeiros e constituem a verdade última - Deus é amor, te ama, deseja estar contigo, deseja preencher seu vazio. O vício é a academia do pecado, e o mesmo provém da ausência de Deus, que logo desenha um fim para todo o homem - estará sempre perdido! Não há como viver feliz sem Deus, não há amor sem Ele. Cansamos de ver declarações estapafúrdias, ridículas de amor, seja na mídia, seja no cotidiano, de pessoas que dizem amar. Pois amam coisíssima nenhuma. Como pode alguém amar e desferir um tiro contra a pessoa amada? Pois vejam quanto o amor é desvirtuado em benefício do que é conveniente com a concupiscência humana. Este amor é o que justifica a mais pura raiva existente, este desejo de eliminar, destruir - um "amor satânico". O amor de Deus nos torna leves. Quem vive em Deus ama de verdade, pois usufrui da verdade, o sustentáculo do amor. Quem ama jamais usurpa o direito do outro. O amor regenera, o amor vivifica. O amor é capaz de tudo, é a excelência do ser em Cristo firmado.

Jesus te ama, aceite esta prova de amor. Entregue sua vida a Ele e viva a essência de um grande amor - e verá o que é capaz de fazer em sua vida.