Mostrando postagens com marcador CEADEB. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador CEADEB. Mostrar todas as postagens

sábado, 20 de setembro de 2014

ADESAL vence batalha judicial. Observações após a ventania.

Quando tivemos o problema entre a igreja Assembléia de Deus (ADESAL) e a convenção, lembro que no setor 10 na época, recebi várias pedradas por ter explanado as coisas a seu devido modo. Pessoas pararam de falar comigo, irmãos que gostava mudaram seu jeito de ser por questões meramente políticas e penso, agiram pelo calor das emoções e credulidade exagerada e desapercebida de critérios isentos de emoções, afim de examinarem a situação isentos. Haviam ainda os predispostos a tomarem atitudes deste nível, pois as mesmas eram compatíveis com as velhas naturezas. Outros por antipatia gratuita. Sei que fui bastante odiado, apenas por ter um posicionamento contrário a maioria. Como se fosse obrigado a segui-la...

O mais interessante é que orei tanto pela igreja de Paripe e hoje meu pai pastoreia a mesma, como forma de manifestar não somente sua glória e querer supremo, como uma resposta as muitas orações que fiz pela mesma Hoje trabalho em outra congregação e penso que Deus fez as coisas correrem conforme a sua vontade, pois mudanças eram necessárias e ocorreram para mudança de visões, paradigmas e normas que por vezes mais freiam o avanço da igreja que ajuda em seu desenvolvimento.

A ADESAL ganhou a causa por apenas um motivo - Deus não tolera brigas entre irmãos, e pior, se os motivos são pífios. Logo a vitória significa que a visão de nosso pastor, Israel Alves Ferreira, foi mais que acertada - nada de atacar quem quer que seja, apenas orar, perdoar, continuar lutando em benefício do reino. Mas houve entre nós pessoas que não souberam o momento de calar e vigiar, claro. Porém 

Me posicionei ferrenhamente e neste blog fiz uma explanação que na época causou furor no Orkut. Mensagens de ódio, pessoas totalmente desalinhadas com a visão de reino, entre outras coisas. Houve quem criasse motivos para brigas, pessoas ainda hoje não falam comigo na rua. Deixo claro que não carrego mágoas destas pessoas; afinal o maior prejudicado nesta situação são os que porventura carregam consigo raiz de amargura, raiva, ressentimentos. 

Graças a Deus não guardo raiva de qualquer pessoa e caso ache que tenha alguma reserva a você, saiba que há muito são águas passadas, que meu posicionamento não significa necessariamente uma defesa louca e cega, como torcedores por um time de futebol. Só que oro e peço a Deus que continue abençoando o Pr. Israel Alves Ferreira e família, bem como os demais ministros do Senhor, que desempenham trabalhos na capital e no interior do estado, e indiferente a "bandeiras de torcidas" (que se tornou para alguns), mantiveram-se sóbrios e continuaram a resgatar vidas.

Nosso blog deletou as postagens, pois criou um problema enorme na época e não quis alimentar um clima ruim. Hoje creio que muitos amadureceram, como também este que vos fala. Poderia usar este espaço para "contar vantagem", como sei que alguns o fariam. Longe de tal puerilidade, vim apenas dizer que estou alegre, pois as orações de muitos assembleianos da capital, que ouviram coisas absurdas, infantis e carregadas de ódio, podem congregar em suas igrejas sem ouvir dos irmãos coisas do tipo - "ganharemos a causa e sua igreja irá virar um almoxarifado".

Já pensou a tristeza de um membro ouvir de um irmão seu tal assertiva? E pior, que um lugar consagrado a atividade de culto seja após relegada ao plano de um depósito de estoque? Acham que Deus sentiu agrado em ouvir tais coisas? Foi Ele quem disse, certa vez:

"Esta casa será chamada casa de oração" Mt. 21:13

Ponderações deste teor demonstram que não houve respeito da contraparte, que acionou a ADESAL como ré, sendo que a mesma é mãe de todas as igrejas Assembleia de Deus em nível Bahia, e tiveram como pioneiros, homens interessados no reino de Deus de forma isenta de qualquer vantagem pessoal. Porém Deus usou de justiça e sua mão jamais reterá a equidade, mesmo quando irmãos querelam assuntos de forma contundente e um usa de formas questionáveis afim de prejudicar sua antes parceira de caminhada.

Paulo e Barnabé por pontos de vista, deixaram de caminhar juntos. Nem por isto um deles puxou o tapete do outro, pois a visão era de reino eterno, imaterial. Eram as almas. A salvação da Ásia, dos judeus e gentios.  

Aos meus irmãos e amigos de Paripe em geral, digo que o setor 10 está uma bênção. Mesmo que não esteja participando ativamente por estar noutra congregação, me alegro ao ouvir dos irmãos como Deus está manifestando sua glória. 

Por este motivo amados, parafraseio Marquinhos Gomes - "É hora de levantar a bandeira do amor, e este vento vai passar". Vamos para a frente!


Roque de S. Braga